São Serapião

S. Serapião

Origens
Serapião nasceu em Londres, em 1179, de uma família cristã e nobre. Seu pai se chamava Rotlando Scoth e era capitão de esquadra do famoso rei Henrique III. Ainda jovem, Serapião já acompanhava o pai nas cruzadas. Participou da cruzada liderada por Ricardo Coração de Leão, o lendário.

Reviravolta
Quando retornavam da cruzada, o navio naufragou perto de Veneza. Por isso, tiveram que continuar a viagem por terra. No trajeto que fizeram, acabaram presos pelo duque da Áustria, chamado Leopoldo. Este deu liberdade ao rei e ao pai de Serapião. O jovem Serapião e os demais, porém, permaneceram presos. Esta prisão se tornou um ponto de virada que mudaria toda a vida de serapião.
Na corte do rei
O duque da Áustria percebeu logo que o jovem militar Serapião, era bondoso e caridoso para com todos, além de excelente militar. Por causa disso, decidiu mantê-lo na Corte, dando-lhe a liberdade. Tempos depois, Serapião ficou sabendo que seus pais morreram. Por isso, decidiu permanecer na Áustria.

Militar defensor dos cristãos
Amigo do rei, Serapião juntou-se aos militares do duque e partiu para a Espanha. Seu objetivo era ajudar o exército cristão do rei Afonso III. Este travava grande luta contra os invasores muçulmanos. Quando chegaram, porém, os muçulmanos já tinham sido expulsos. Serapião, então, sentiu o desejo de ficar para servir o exército do rei Afonso III. Seu grande objetivo era continuar defendendo os cristãos.

Cruzadas na Terra Santa
Na espanha, Serapião lutou em algumas cruzadas que foram bem sucedidas. Em 1214, porém, o rei Afonso III foi morto num combate. Por isso, Serapião, voltou para a Áustria e inscreveu-se na quinta cruzada liderada pelo do duque Leopoldo. Partiram no ano 1217 rumo a Jerusalém e, posteriormente, ao Egito.

Um encontro muda sua vida
A vida de militar defensor dos cristãos levou Serapião novamente para a Espanha, no ano 1220. Nesta ocasião, ele conheceu o padre Pedro Nolasco. Este encontro daria novo rumo à sua vida. Pedro Nolasco tinha no coração o desejo de fundar uma Ordem Religiosa cujo objetivo era não fazer guerra, mas sim libertar cristãos escravizados e feitos prisioneiros dos muçulmanos. Este era o objetivo, mesmo que para cumpri-lo colocassem suas próprias vidas em risco.

Ordem dos Mercedários
O Padre Pedro Nolasco, auxiliado por Serapião e Raimundo Nonato (todos santos) fundaram a Ordem de Nossa Senhora das Mercês. Os membros da Ordem ficaram conhecidos como frades mercedários. Serapião fez os votos na Ordem e vestiu o hábito mercedário no ano 1222, juntamente com os santos Pedro Nolasco e Raimundo Nonato.

Libertações e morte
São Serapião conseguiu realizar muitas libertações de cristãos presos e escravizados. Na última, em Argel, África, ofereceu-se como refém para dar liberdade a cristãos que estavam em vias de renegar a fé diante dos muçulmanos. Outro mercedário foi para Barcelona buscar o dinheiro do resgate. Pedro Nolasco, o superior, estando na França, escreveu pedindo que fizessem arrecadação de esmolas para libertar Serapião o mais rápido possível. O resgate, porém, não chegou na data marcada. Por isso, os muçulmanos disseram a Serapião que, se renegasse a fé cristã, seria libertado. Serapião recusou. Furiosos, os muçulmanos deram a ele um martírio cruel. Quebraram-lhe todas as juntas do corpo e o jogaram de cabeça para baixo do andar de cima da casa. Era o dia 14 de novembro de 1240. Por causa do martírio que sofreu, São Serapião passou a ser venerado como protetor das articulações. Ele foi canonizado no ano 1625 pelo papa Urbano VIII.

O óleo de São Serapião
Por causa do martírio de São Serapião, no qual todas as suas juntas foram separadas, passou-se a usar o óleo de São Serapião nas jungtas e em dores do corpo. O manual de Piedade cristã da Ordem afirma que o óleo “é, de há muito, usado pelos fieis em todas a sorte de dores corporais, especialmente nas fraturas, luxações, chagas e etc.

Oração para benção do Óleo de São Serapião
(para ser feita pelo sacerdote)

“Dignai-vos, Senhor santificar este óleo que vou benzer em vosso Nome e no do ínclito e fortíssimo atleta, São Serapião, a fim de que, os que sofrem de chagas, fraturas ou qualquer outras dores, ungidos com este óleo, pelos merecimentos e preces daquele que tanto sofreu por Vós no martírio sintam o alívio temporal e obtenham a vida eterna. Amém.”.

Modo de usar o óleo bento
Ajoelha-te e reza a seguinte:

Oração
“Ó São Serapião, Atleta nobilíssimo, Porta-bandeira da milícia mercedária, Filho da Virgem Mãe, Mártir preclaro de Cristo Jesus, intercedei por mim diante de Deus que vos concedeu a fortaleza e constância para suportardes vosso cruel martírio concedei-me a graça de permanecer fiel nas maiores privações da vida e manter-me unido à Cruz do meu Salvador, e, se for para bem de minha alma, daí-me também a saúde do corpo, fazei que por esta unção seja curado dos males que padeço. Amém.”

Agora passar o óleo na parte magoada do corpo e depois rezar o seguinte:

Oração
“Ó Glorioso São Serapião, que suspenso na cruz exclamáveis: “desejo ser desatado e estar em Cristo, salva-me cruz preciosa, leva-me a Meu Mestre, por ti Me receba quem por ti Me resgatou”. Humildemente vos suplico me obtenhais a paciência e conformidade nos padecimentos desta vida e a salvação eterna. Amém.

Rezar Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória ao Pai

São Serapião, rogai por nós em nossas tribulações. Piedosíssima Mãe das Mercês, rogai por nós.”

Tudo por Vós, Sacratíssimo Coração de Jesus. Amém.”

Extraído do Manual de Piedade Cristã da Ordem Mercedária